Hipotiroidismo: Recomendações nutricionais

Barbara de Almeida Araujo
De acordo com a Sociedade Europeia da Tiróide, um em cada dez portugueses, ou seja 10% da população, sofre de doenças da tiróide.
As doenças da tiróide são bastante comuns e afetam sobretudo mulheres sendo os principais distúrbios o hipotiroidismo e o hipertiroidismo
 

O que é a Tiróide?

A tiróide é uma pequena glândula situada no pescoço sob o pescoço e por baixo da maçã-de-adão. As duas metades (lobos) da glândula estão ligadas na parte central (istmo), de tal maneira que parecem a letra H ou uma borboleta
 

Qual a função da Tiróide?

A tiróide segrega hormonas  (triiodotironina (T3) e a tiroxina (T4)) que controlam a velocidade do metabolismo celular. Estas hormonas têm dois efeitos sobre o metabolismo:Estimulam quase todos os tecidos do corpo a produzir proteínas e aumentam a quantidade de oxigénio que as células utilizam. Desta forma, quando as células trabalham mais intensamente, os órgãos do corpo trabalham mais depressa, e portanto gastam mais calorias.
Para a produção das hormonas a tiróide capta iodo do sangue e combina-o com um aminoácido, a  tirosina. A T3 tem 3 moléculas de iodo em cada  molécula da hormona e a T4 tem 4.

Qual a importância das hormonas tiroideias?

A tiróide produz várias hormonas sendo as mais importantes a triiodotironina (T3) e a tiroxina
(T4). Estas hormonas são essenciais para o normal funcionamento do nosso organismo:
  • Regulam a temperatura corporal;
  • Regulam  a frequência cardíaca e a pressão arterial;
  • Regulam  funcionamento dos intestinos;
  •  Controlam o peso corporal
  • Regulam os nossos estados de humor.

 

Como é feita a regulação da tiróide?

A actividade da tiróide é regulada por outras hormonas produzidas pela hipófise e pelo hipotálamo (glândulas localizadas no cérebro) que detectam os níveis sanguíneos das hormonas tiroideias e assim estimulam a glândula tiroideia a segregar mais ou menos hormonas consoante a necessidade.
Se os níveis de T3 e T4 forem baixos, o hipotálamo “avisa” a hipófise, que liberta a TSH (hormona estimulante da tiróide), a qual irá actuar a nível da tiróide para que esta produza mais hormonas de forma a restabelecer os níveis normais. Pelo contrário, se os níveis de T3 e T4 no sangue forem elevados, o hipotálamo alerta a hipófise a segregar menos TSH e logo a tiróide irá produzir menos hormonas. Desta forma a tiróide é regulada por um mecanismo controlo de “feed-back” entre o hipotálamo-hipófise-tiróide.
 
 

O que é o Hipotiroidismo?

Trata-se de uma disfunção da glândula tiróide que resulta da produção insuficiente ou mesmo nula de hormonas tiroideias.

1.Causas

As causas mais frequentes de hipotiroidismo são a remoção cirúrgica, parcial ou total, da tiróide, doenças inflamatórias ou imunológicas (exemplo as tiroidites), o tratamento  com iodo radioactivo, certos medicamentos receitados para tratamento da depressão e de arritmias cardíacas, falta de iodo na alimentação, já que este mineral é indispensável para a síntese de hormonas tiroideias. A falta de TSH, que surge em certas doenças cerebrais, é uma das causas raras de hipotiroidismo.
 
 

2.Sintomas

Sendo as hormonas tiroideias fundamentais para o normal funcionamento do nosso corpo, a sua falta a nível dos tecidos e órgãos provoca o aparecimento de algums sintomas e sinais (ver quadro 1) que não são específicos da doença:  cansaço, intolerância ao frio, obstipação, queda de cabelo, aumento de peso, dores musculares, sensação de formigueiro nas mãos,  dificuldade de concentração e memorização, depressão, sonolência, nas mulheres podem ocorrer alterações menstruais.
Estes sintomas podem ser mais ou menos evidentes, dependendo do grau do hipotiroidismo e do seu tempo de evolução.
Quadro 1: Sintomas e Sinais de Hipotiroidismo Quadro tirado daqui


3.Tratamento

O tratamento do hipotiroidismo consiste na administração de hormonas tiroideias sintéticas (T3 e T4), geralmente por via oral na forma de comprimido.

Alimentação vs Hipotiroidismo

 
Pessoas com hipotiroidismo devem ter uma dieta equilibrada e mais específica para a redução de sintomas associados à patologia, bem como para uma redução ou manutenção de peso (como já foi referido o défice de hormonas da tiróide pode provocar um aumento do peso, uma vez que há uma desaceleração do metabolismo).

Recomendações nutricionais no Hipotiroidismo

 

1. Preferir:

  • Alimentos ricos em Vitamina A: óleo de fígado de peixe, fígado, gema de ovo, manteiga, vegetais de folha verde, vegetais e frutas de coloração amarelada (Ex: Cenoura,abóbora, damasco), sardinha.
  • Alimentos ricos em iodo:Algas, mariscos, sal iodado.
  • Alimentos ricos em Zinco: Marisco (camarão, ostras, mexilhões), amêndoas, carne vermelha, gérmen de trigo, grãos integrais;
  • Alimentos ricos em ferro: carne vermelha e de aves, peixes, leguminosas, vegetais de folha verde escura (ex: espinafre), levedura de cerveja, grãos integrais;
  • Alimentos ricos em fibra: cereais integrais, fruta com casca, legumes
  • Alimentos ricos em selénio:nozes e sementes, alguns vegetais cultivados em solos ricos em selénio, carne de animais que pastaram em solos ricos em selénio.
 
Nota: Cozinhe muito bem os legumes como os brócolos, couves, couve-flor  (em cru estes vegetais contêm uma substância, tioglucósidos, que pode inibir a função da tiróide)

2.Evitar

 

  • Açúcar, alimentos refinados, massas, arroz, pão branco, sobremesas, doces e refrigerantes;
  • Cafeína em excesso (ex: café, chá verde, refrigerantes à base de cola), uma vez que pode diminuir a absorção do medicamento Levotiroxina (um medicamento muito usado no tratamento do hipotiroidismo)
  • Soja.Os fitoestrogeneos da soja têm demonstrado suprimir a actividade da tireóide
 
 
 
Se sofre ou se suspeita de Hipotiroidismo consulte o seu médico. Depois marque uma consulta de nutrição com um(a) Dietista/Nutricionista de forma a que lhe seja prescrito um plano alimentar mais adequado às suas necessidades.

1 Comment on “Hipotiroidismo: Recomendações nutricionais

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *